Arquivo do mês: junho 2006

RISCO

Traço rumo sem o limite aparente sem amparo senão no risco horizontal onde a vista alcança arrisca o passo afasta o corpo do cordão umbilical corre a linha da vida à mão manuscrita sem passar a limpo (Belo Horizonte, 07.05.1993)

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

NO POR-DO-SOL

No por do sol as lágrimas saem cristais as flores do brejo seduzem seus mosquitos até o azul do céu pretejar e salpicar a noite de estrelas.

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

GOSTO DO GÓTICO

gosto do góticoengasgoboquiabertomirando a ponta de suas torresdeus e o diaboenfiam seus campanários nas nuvensos sinos repousamqual xícarasde boca para baixo. 14.1.92 – 11h30′

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

CAFÉ SEM AÇUCAR

Madrugadas a fioSem o propósitoLaboroso da tranformação Ficar à toaAtolado no silêncio De sinfonias caóticas. São Paulo/J. Fora – fev./jun.91

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

ESQUISOFRAME

roi unha screen-eyeszoombi dos pal-mstrancafiadoplugado à virtualidade plenaon line dreamsvideoviventeautocontrole remoto   Minas, inverno, 93

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

CRIATURA

me fazes carinho no ego-egoísta sem arte ao redor dói raspa excessos de barro que deus não tirou do adão que há em mim 1991

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

VOYEURS

sol a pele sua seus poros seus pêlos pelo ventre parcos pelo púbis fartos sua pele sua ao sol e pela fresta garotos fazem festa

Publicado em Poesia | Deixe um comentário