Arquivo do mês: junho 2008

Passou um anjo!

uma namorada diziaque a cada silencio nossoum anjo passava entre nós. Grave, ficávamos pensandoque anjo safado, que nos roubava a falae deixava aqueles pensamentosmais sacanas… Juiz de Fora, primavera de 1997

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sem Rascunho

a letra bambaemotivos milpara escrever um bilhete apaixonadosem rascunho só para ter aqueles olhos ensolarados vigiando o intinerário dos pássaros no entardecer do inverno.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

No Capim

roça a barriga na grama com graça coça o corpo esmaga o mato no peito curvada na relva quente abana os insetos impertinentes e se entrega de quatro, aberta, alerta moita de desejos, de clorofila, de espermas

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

Café sem açúcar

(Outro jeito de ler) madrugadas a fio sem o propósito laborioso da transformaçãoatoa atolado no silêncio de sinfonias caóticas

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

Café sem açúcar

madrugadas a fio sem o propósito laborioso da transformação atoa atolado no silêncio de sinfonias caóticas

Publicado em Poesia | Deixe um comentário

Cesaria Evora

Estava angustiado por não sei exatamente o quê. Dirigia meu carro e pensava nas coisas para fazer.  Coloquei um CD novo que havia comprado na noite anterior no som do carro. Anthology, Cesaria Evora, selecionei a música “Lua nha testemunha”. … Continuar lendo

Publicado em Pequenos Textos | Deixe um comentário

Café sem açucar

madrugadas a fioatoaatolado no silêncio de sinfonias caóticassem o propósito laborosoda transformação

Publicado em Poesia | Deixe um comentário